Guerra ucraniana: o ex-capitão russo Igor Denisov diz ‘talvez ele me mate’ por se opor à invasão

By | Junho 16, 2022
Igor Denisov terminou sua carreira de jogador no Lokomotiv de Moscou em 2019

O ex-capitão russo Igor Denisov tornou-se um dos atletas mais proeminentes que ainda vivem no país que se manifestou contra a guerra na Ucrânia.

Denisov, que fez 54 aparições entre 2008 e 2016, chamou a invasão de “desastre” e “horror completo”.

O ex-meio-campista comentou isso em entrevista ao jornalista esportivo Nobel Arustamyan postado no YouTube.link externo

“Eles podem me colocar na cadeia ou me matar por essas palavras, mas eu digo do jeito que é”, disse o homem de 38 anos.

Denisov, que jogou mais de 300 jogos pelo Zenit São Petersburgo antes de encerrar sua carreira no Lokomotiv Moscou em 2019, disse que “ama seu país” e não quer deixar a Rússia.

Ele também escreveu ao presidente Vladimir Putin para expressar sua oposição à invasão que começou em 24 de fevereiro.

“Sou um cara orgulhoso. Isso foi depois de três ou quatro dias”, acrescentou Denisov. Eu até disse a ele que estava pronto para me ajoelhar diante de você para parar tudo.

Muito poucas figuras públicas que ainda vivem na Rússia se opuseram abertamente à “operação militar especial”, como Moscou a chama.

Mas Nadya Karpova, atacante da seleção feminina que agora vive na Espanha, é recentemente se pronunciou contra a guerra.

A mídia russa pode até ser punida ou bloqueada por usar as palavras “guerra” ou “invasão” para descrever o que está acontecendo na Ucrânia.

Durante a entrevista de Denisov com Arustamyan, algumas das palavras que ele usou para as ações russas na Ucrânia parecem ter sido obscurecidas, e em vez disso ouviu-se um estalo.

E enquanto o Sports.ru, um dos sites de esportes mais importantes do país, relatou os comentários de Denisov, ela não usou as palavras “guerra” ou “invasão” em vez de se referir às discussões dele sobre “vida após 24 de fevereiro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.