É noite de quarta-feira em Kiev. Aqui está o que você precisa saber.

By | Junho 1, 2022
O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, à esquerda, e o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à direita, em uma entrevista coletiva no Departamento de Estado em Washington, DC, na quarta-feira, 1º de junho. (Jacquelyn Martin/AP)

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, anunciou na quarta-feira a retirada de armas e equipamentos para a Ucrânia no valor de US$ 700 milhões.

Essa retirada, dia 11, faz parte de uma alocação adicional de US$ 40 bilhões.

“A ajuda militar dos EUA fortalecerá a posição da Ucrânia para defender sua soberania e integridade territorial, garantir vitórias no campo de batalha e, finalmente, fortalecer a posição da Ucrânia na mesa de negociações”, disse Blinken em comunicado.

“O Kremlin só conseguiu devastar comunidades, brutalizar civis, interromper a agricultura ucraniana e ameaçar a segurança alimentar global ao bloquear portos ucranianos. “, acrescentou. Blinken.

Blinken encerrou sua declaração prometendo que os Estados Unidos e seus aliados “apoiarão a Ucrânia o tempo que for necessário”.

O mais recente pacote de assistência de segurança para a Ucrânia do governo Biden inclui HIMARS ou sistemas de mísseis de artilharia de alta mobilidade, bem como outros 1.000 mísseis Javelin e plataformas de lançamento para esses mísseis, segundo o Ministério da Defesa.

Essas armas darão à Ucrânia “capacidades críticas para ajudar os ucranianos a repelir os russos”, disse o secretário de Defesa da Defesa, Colin Kahl, em um briefing no Pentágono na quarta-feira.

O Ministério da Defesa também anunciou que o ministro da Defesa, Lloyd Austin, conversou na terça-feira com o ministro da Defesa ucraniano, Oleksiy Reznikov, “para discutir as demandas militares da Ucrânia”.

“O secretário Austin destacou o sucesso do Grupo de Contato Ucraniano realizado em 23 de maio e destacou a unidade da comunidade internacional no apoio à Ucrânia ao rejeitar a invasão russa”, disse Kahl.

Este é o primeiro pacote de assistência de segurança ao órgão de retirada presidencial anunciado pelo governo Biden desde que o Congresso aprovou US$ 40 bilhões em financiamento adicional para assistência à Ucrânia em maio.

No total, os EUA já comprometeram “aproximadamente US$ 5,3 bilhões em ajuda de segurança à Ucrânia” desde o início do governo Biden e US$ 4,6 bilhões desde o início da invasão russa em 24 de fevereiro, acrescentou Kahl.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.