Atualizações ao vivo: guerra russa na Ucrânia

By | Junho 16, 2022
(cortesia de Bunny Drueke e Joy Black)

Dois americanos que lutam ao lado de forças ucranianas ao norte de Kharkov, na Ucrânia, estão desaparecidos há quase uma semana, e há temores de que tenham sido capturados por forças russas, suas famílias e um combatente reivindicado.

Os homens são Alexander John-Robert Drueke, 39, de Tuscaloosa, Alabama, e Andy Tai Ngoc Huynh, 27, de Hartselle, Alabama.

Um homem que queria permanecer anônimo por razões de segurança e que atua como sargento de equipe forneceu à CNN fotos dos passaportes de ambos os homens e seus carimbos para entrar na Ucrânia.

O homem disse que sua unidade lutou sob o comando da 92ª Brigada Mecanizada da Ucrânia em 9 de junho, perto da cidade de Izbytska.

Ele disse que Drueke e Huynh desapareceram durante a batalha, e as missões de busca subsequentes não conseguiram encontrar os restos mortais. O anúncio no dia seguinte no canal de propaganda russo no Telegram afirma que dois americanos foram capturados perto de Kharkov.

“Foi um caos absoluto”, disse ele à CNN. “Mais de cem pedestres avançaram em nossas posições. Tínhamos um T72 que atirava nas pessoas a uma distância de 30, 40 metros.”

Bunny Drueke, a mãe de Alex, disse à CNN que ela era “presumivelmente prisioneira de guerra, mas isso não foi confirmado”. Ela disse que a embaixada dos EUA na Ucrânia não pôde verificar se seu filho havia sido capturado.

“Eles não conseguiram confirmar que ele está com os russos. Tudo o que posso verificar é que ele está desaparecido no momento”, disse ela. “Eles estão em contato próximo comigo e estou totalmente convencido de que estão trabalhando na situação.”

Joy Black, noivo de Huynh, 21, disse à CNN: “Não queremos fazer suposições sobre o que poderia ter acontecido neste momento. Eles estão obviamente olhando para vários cenários. E um deles é que eles podem ter sido capturados. Mas no momento não temos confirmação absoluta disso.”

O que os EUA estão dizendo: Um porta-voz do Departamento de Estado disse na quarta-feira que eles “estavam cientes de relatos não confirmados de dois cidadãos americanos presos na Ucrânia”.

“Estamos monitorando de perto a situação e estamos em contato com as autoridades ucranianas”, disse um porta-voz. “Por razões de privacidade, não temos mais comentários.”

Jennifer Hansler, da CNN, contribuiu para a reportagem deste anúncio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.